Recorte Lírico

Tirando a literatura dos corredores acadêmicos

Assinar blog por e-mail

Digite seu endereço de e-mail para assinar este blog e receber notificações de novas publicações por e-mail.

Sombra

23 de agosto de 2017

Categorias:Quarta Poética Tags:,

Sombra

A minha sombra sou eu já cansado de mim. É a moldura onde fico exposto, sem decoração, porque falta você me decorar, lembrar sempre de mim. Um quadro que pintaram com um modelo meu que desconheço. É a fumaça-mim, queimado, pelo Sol posto de lado. É o rechaço do eu sonhar, pelo Luar. Despida a minha sombra de mim. Eu em outro lugar. A minha sombra é o meu espírito desenhado pela Luz, através do lápis-corpo meu. É a minha ausência no ponto mais alto desde a profundidade. Eu tenho medo com o que possa acontecer onde eu falto, quando só resto-me. Se na Vida tanto somo, num intervalo de Sol eu logo sumo. Minha sombra é o meu amortecedor, o meu colchão por todo o chão. O que acontecerá se eu tropeçar e cair na minha sombra? Preencherei o meu impossível? A minha sombra é uma Saudade de noite que o Sol possui. É um eclipse. É a minha alma soprada a minha sombra, como perfume das flores pelo vento. Sou mais sentido, e mais agradável, quanto mais confundido comigo eu sou. A minha sombra sou eu sem mim.