28 de abril de 2018

5 excelentes autores de fantasia

5 excelentes autores de fantasia

Não sei se vocês já notaram, mas eu sou fascinada por livros de fantasia (tanto que estou escrevendo uma trilogia fantástica, vai demorar, mas vai sair). Sendo assim, decidi trazer para vocês que já gostam ou que querem começar a ler fantasia, uma lista de 5 autores contemporâneos de ficção fantástica que são simplesmente excelentes!   Patrick Rothfuss Já falei de Patrick Rothfuss por aqui, no post “10 motivos para […]

24 de abril de 2018

[a desculpa do waack]

Cleiton é um homem espirituoso e otimista, mesmo agora que está passando por uma tremenda prova. Não existe copo meio vazio para ele, a não ser que seja ele a beber o que está no copo. Acredita piamente em prosperidade por força de vontade. Todo dia de manhã saúda cada conhecido seu com uma mensagem de bom dia, acompanhada de coisas como trechos da música “Tente Outra Vez”. É uma […]

23 de abril de 2018

A simbologia do “verme” na literatura mundial 1

A simbologia do “verme” na literatura mundial

É de conhecimento geral que um dos principais temas da literatura é a morte, personagem sempre presente nas pontas das canetas dos poetas e algoz eterno da humanidade. A morte é com absoluta certeza um dos temas que mais intriga o homem não somente na literatura, mas em todas as formas de arte e na sociedade como um todo. Geralmente ela é representada pela escuridão, por cenários fúnebres ou por […]

21 de abril de 2018

10 motivos para ler O Nome do Vento, de Patrick Rothfuss

10 motivos para ler O Nome do Vento, de Patrick Rothfuss

Uns dos meus livros preferidos da vida, são os que compõem a trilogia As Crônicas do Matador do Rei, cujo primeiro livro é “O Nome do Vento”, o segundo é “O Temor do Sábio” e o terceiro ainda não saiu… (estamos aí na espera desde 2011). Para você que gosta de fantasia (e para você que quer gostar), eu trouxe 10 motivos para você ler ao menos o primeiro livro, […]

20 de abril de 2018

O que eu descobri lendo Elena Ferrante

O que eu descobri lendo Elena Ferrante

O ano era 2004, eu estava na segunda série do fundamental – o terceiro ano de hoje – quando a conheci. Até então, não tinha feito muitas amizades, sempre gostei de ficar na minha, só falar quando falavam comigo. O problema é que crianças precisam de amigos, eu sabia que não sobreviveria ali sozinha; decidi me aproximar da menina que tinha a mochila parecida com a minha. Por três anos […]

19 de abril de 2018

O rock hereditário dos Titãs na ópera Doze flores Amarelas

O rock hereditário dos Titãs na ópera Doze flores Amarelas

(Atenção: alerta de spoilers) Os Titãs fizeram a estreia nacional da ópera rock Doze flores amarelas no Festival de Teatro de Curitiba (edição de 2018), com 25 novas músicas. Algumas canções têm a colaboração de Hugo Possolo, Beto Lee, Mario Fabre e Jaques Morelenbaum. Com argumento de Branco Mello, Sergio Britto, Tony Bellotto, Hugo Possolo e Marcelo Rubens Paiva, o show foi dirigido por Possolo, em colaboração com Otavio Juliano. […]

18 de abril de 2018

ATÉ QUE A MORTE ME UNA

[Quarta Poética] ATÉ QUE A MORTE ME UNA

Silêncio. Onde a palavra nasce e depois morre. Tobogã onde toda sílaba escorre. Um nada antes e outro depois. Uma ausência final diferente. No começo não se existe. No fim, sobra-se na memória (túmulo vivo) que carregam da gente. Antes da chegada, o desconhecido. Partido, entre outros distribuído, até, com (ou sem?) sorte, ser esquecido e oferecido à morte. Que a palavra final me condene a mim. E demore assim. […]

18 de abril de 2018

Trabalho leve não dá direito a segundo prato 1

Trabalho leve não dá direito a segundo prato

No inverno, para saber mais precisamente a temperatura caso os termômetros quebrassem, o camarada Chalámov cuspia. Quando o cuspe congelava no ar, indicava que a temperatura era de mais ou menos sessenta graus negativos. Não havia aquecimento interno ou refeição quente. O trabalho não podia parar sob pretexto nenhum, sob pena de execução. No verão, os camaradas vomitavam (ar, que era o que tinha no estômago) ao sentir o cheiro […]

17 de abril de 2018

Trabalho leve não dá direito a segundo prato

O Marinheiro Tocado Pelo Vento

Por acaso o vento que me sopra do norte é o mesmo vento que me sopra do sul?, demonstrando que, ao contrário do que se mostraram minhas expectativas, não são todos os ventos distintos e sim todos os ventos apenas um? São as marés oceânicas que movem um navio das Américas à África as mesmas que movem as embarcações chinesas aos arquipélagos da Oceania? São os ventos o assobio de […]

15 de abril de 2018

Ecos de Paris, a Cidade das duas Gestapos 3

Ecos de Paris, a Cidade das duas Gestapos

Descrevo rapidamente o início da Gestapo e a sua instalação em Paris, o início da “Gestapo francesa” e suas atividades, e termino com indicação do filme “Carlingue” fazendo algumas notas quer sobre a montagem, quer sobre a proximidade da narrativa aos factos. O termo tenebroso “Gestapo” é um acrónimo para Geheime Staatspolizei (Polícia Secreta de Estado), no fundo, a polícia política de estado do Terceiro Reich. É de conhecimento geral […]