21 de maio de 2018

A adjetivação “exagerada” em Senhora, de José de Alencar

A adjetivação “exagerada” em Senhora, de José de Alencar

Lançamos um desafio literário: encontrar na obra “Senhora” um período onde não haja um adjetivo. Difícil? Com certeza! Afinal, José de Alencar é conhecido por sua larga caracterização de cenários, ações e personagens em suas obras. Entretanto, pode-se dizer que em “Senhora” temos um recorde. Muitos leitores acham essa característica da obra um fator cansativo e distrativo. Eu não concordo, acho que acrescenta à obra justamente aquilo que a torna […]

7 de maio de 2018

Augusto dos Anjos era Go Veg?

Augusto dos Anjos era Go Veg?

Augusto dos Anjos é conhecido por sua poesia excêntrica e macabra, focando o grotesco e uma visão fria da vida como forma de criar suas reflexões e críticas. Há alguns de seus poemas que seguindo essa mesma linha de retratar o grotesco nos trazem uma visão interessante sobre a morte, observe: À Mesa Cedo à sofreguidão do estômago. É a hora De comer. Coisa hedionda! Corro. E agora, Antegozando a […]

23 de abril de 2018

A simbologia do “verme” na literatura mundial 1

A simbologia do “verme” na literatura mundial

É de conhecimento geral que um dos principais temas da literatura é a morte, personagem sempre presente nas pontas das canetas dos poetas e algoz eterno da humanidade. A morte é com absoluta certeza um dos temas que mais intriga o homem não somente na literatura, mas em todas as formas de arte e na sociedade como um todo. Geralmente ela é representada pela escuridão, por cenários fúnebres ou por […]