16 de julho de 2018

“Baudelaire” biografia em forma de poema escrito por Rilke 1

“Baudelaire” biografia em forma de poema escrito por Rilke

“Se não for Baudelaire eu nem leio” É, parece que Rilke partilhava dessa ideia, e quem não compartilha? Afinal, Baudelaire é realmente um dos nomes mais icônicos da poesia (sou só eu que acho isso?). No entanto, apesar de receber aplausos, Baudelaire recebeu também muitas vaias do público conservador de sua época e teve muitas críticas ruins com relação ao que escrevia. Tendo isso em mente, observemos o poema de […]

2 de julho de 2018

Rei Leão, uma fanfic que deu certo 1

Rei Leão, uma fanfic que deu certo

Quem aí gosta da Disney? Bem, a Disney, apesar de ser uma empresa comercial, já produziu algumas animações de altíssima qualidade: O Corcunda de Notre Dame, Mulan, Tarzan, citando os melhores exemplos. Hoje irei tratar sobre uma que é, em especial, um “clássico” da Disney: Rei Leão. Rei Leão foi lançado em 1994, obtendo grande sucesso de bilheteria, com uma equipe de dublagem ótima, trilha sonora muito boa e uma […]

18 de junho de 2018

O mundo que oprime poetas: uma análise comparativa entre poemas de Dickinson e Rilke.

O mundo que oprime poetas: uma análise comparativa entre poemas de Dickinson e Rilke.

Nesse presente texto, apresentar-se-á uma análise comparativa entre poemas de dois autores certamente brilhantes: Rilke e Dickinson, observe-se os excertos: Excerto 1: “A pantera”, de Rilke “Seu olhar, de tanto percorrer as grades, está fatigado, já nada retém. É como se existisse uma infinidade de grades e mundo nenhum mais além. O seu passo elástico e macio, dentro do círculo menor, a cada volta urde como que uma dança de […]

4 de junho de 2018

Análise comparativa: canções da inocência no holocausto

Análise comparativa: canções da inocência no holocausto

“Oh! que saudades que tenho Da aurora da minha vida, Da minha infância querida Que os anos não trazem mais! (…)”   É, todos têm um pouco de saudades da infância, afinal, é uma época da vida em que tudo é fácil e em que somos inocentes, ainda não tocados pela frialdade da experiência de viver a vida adulta. Na infância tudo é sonho, fantasia, diversão. Em “Canções da inocência […]

21 de maio de 2018

A adjetivação “exagerada” em Senhora, de José de Alencar

A adjetivação “exagerada” em Senhora, de José de Alencar

Lançamos um desafio literário: encontrar na obra “Senhora” um período onde não haja um adjetivo. Difícil? Com certeza! Afinal, José de Alencar é conhecido por sua larga caracterização de cenários, ações e personagens em suas obras. Entretanto, pode-se dizer que em “Senhora” temos um recorde. Muitos leitores acham essa característica da obra um fator cansativo e distrativo. Eu não concordo, acho que acrescenta à obra justamente aquilo que a torna […]

7 de maio de 2018

Augusto dos Anjos era Go Veg?

Augusto dos Anjos era Go Veg?

Augusto dos Anjos é conhecido por sua poesia excêntrica e macabra, focando o grotesco e uma visão fria da vida como forma de criar suas reflexões e críticas. Há alguns de seus poemas que seguindo essa mesma linha de retratar o grotesco nos trazem uma visão interessante sobre a morte, observe: À Mesa Cedo à sofreguidão do estômago. É a hora De comer. Coisa hedionda! Corro. E agora, Antegozando a […]

23 de abril de 2018

A simbologia do “verme” na literatura mundial 1

A simbologia do “verme” na literatura mundial

É de conhecimento geral que um dos principais temas da literatura é a morte, personagem sempre presente nas pontas das canetas dos poetas e algoz eterno da humanidade. A morte é com absoluta certeza um dos temas que mais intriga o homem não somente na literatura, mas em todas as formas de arte e na sociedade como um todo. Geralmente ela é representada pela escuridão, por cenários fúnebres ou por […]