29 de julho de 2018

Lírica, a expressão dos desassombrados 1

Lírica, a expressão dos desassombrados

O termo “lírica” deriva de “lira”, instrumento musical atribuído a Apolo, a Orfeu, entre outros que acompanhava os cânticos. O instrumento torna-se símbolo de uma unidade harmónica com forte capacidade de pacificar o coração e aliviar os sofrimentos infernais, é, por isso, símbolo dos poderes da poesia e está estritamente ligado ao destino dos homens. O termo aparece na Poética de Aristóteles, mas é por este “desvalorizado”, uma vez que […]

15 de julho de 2018

Odisseia e Eneida, o canto dos heróis

Odisseia e Eneida, o canto dos heróis

Este pequeno ensaio é uma adaptação rápida de fragmentos de um trabalho académico mais estruturado. Aqui limito-me a fazer uma breve exposição da Odisseia e da Eneida. De uma forma ou de outra, seja através dos livros de banda desenhada ou de adaptações cinematográficas, tarde ou cedo somos expostos à Odisseia ou a alguma variação narrativa da mesma. De um certo ponto de vista, todas as narrativas com algum tipo […]

15 de abril de 2018

Ecos de Paris, a Cidade das duas Gestapos 3

Ecos de Paris, a Cidade das duas Gestapos

Descrevo rapidamente o início da Gestapo e a sua instalação em Paris, o início da “Gestapo francesa” e suas atividades, e termino com indicação do filme “Carlingue” fazendo algumas notas quer sobre a montagem, quer sobre a proximidade da narrativa aos factos. O termo tenebroso “Gestapo” é um acrónimo para Geheime Staatspolizei (Polícia Secreta de Estado), no fundo, a polícia política de estado do Terceiro Reich. É de conhecimento geral […]

8 de abril de 2018

A “Estranha forma de vida” de Amélie Nothomb 3

A “Estranha forma de vida” de Amélie Nothomb

“Uma forma de Vida” é o décimo nono romance publicado por Amélie Nothomb na editora Albin Michel com a qual a autora tem uma relação umbilical. Tal como António Lobo Antunes e outros autores, a prolífica  Amélie Nothomb escreve diversos romances por ano e publica apenas alguns: nem tudo o que sai do processo de escrita se destina ao público ou aparece numa forma publicável. Amélie Nothomb é conhecida por […]

1 de abril de 2018

Jean Paul Sartre e os Diários de Guerra 1

Jean Paul Sartre e os Diários de Guerra

Os “Diários de Guerra” (Carnets de la drôle de guerre) foram escritos por Jean Paul Sartre no período em que os escritor/filósofo prestou serviço militar no quadro da grande mobilização da II Grande Guerra. Sartre foi destacado para os serviços de meteorologia na Alsácia. Tendo muito tempo livre, passava os dias inteiros a escrever. Tal como em André Gide, a escrita não resultava apenas de alguma vaga tendência artística, era […]