18 de outubro de 2017

1

[Quarta Poética] Beijo burocrático

Foram se perdendo na vivência Disseram o que convém Intimidade cheia de ausência “Eu te amo.” “Eu também.” Do desejo ao meu hálito Burocrático beijo virou hábito   Leia outros textos da Quarta Poética clicando aqui

20 de setembro de 2017

QUARTO

Quarto

Esta parede está cheia de infiltração Deve ter absorvido O que vazou do meu coração

15 de setembro de 2017

Quem sabe amar? 1

Quem sabe amar?

Poesia é com Oberlan Rossetim.

6 de setembro de 2017

A SENHA DA FRAQUEZA HUMANA 1

A senha da fraqueza humana – Quarta Poética

A SENHA DA FRAQUEZA HUMANA O carro forte passa E leva a força das pessoas

3 de setembro de 2017

Choro

Choro

Eu choro bastante. As flores, os sentimentos. Gestos-delícia. As melodias também. A vida aglomera-se em meus olhos. Minhas lágrimas são gotas de beleza. Eu choro bastante. As mortes, as dores, a violência. A indiferença também. Tristeza decompositora. O desamor pesa em meu olhar. Tanto peso faz ele suar, gotejar. Minhas lágrimas são marcas de cansaço na estrada do sonhar. Mas o belo e o melancólico vai construindo o meu lacrimejar […]

23 de agosto de 2017

Sombra

Sombra

A minha sombra sou eu já cansado de mim. É a moldura onde fico exposto, sem decoração, porque falta você me decorar, lembrar sempre de mim. Um quadro que pintaram com um modelo meu que desconheço. É a fumaça-mim, queimado, pelo Sol posto de lado. É o rechaço do eu sonhar, pelo Luar. Despida a minha sombra de mim. Eu em outro lugar. A minha sombra é o meu espírito […]

16 de agosto de 2017

POR ONDE?

Por onde? – Quarta Poética

Perco-me em mim à procura de ti Minh’alma com seus passos Do Amor junta os pedaços Buscando uma direção que a faça Crer num caminho além da perdição

9 de agosto de 2017

Ser ou não ser: o que é a Poesia?

Ser ou não ser: o que é a Poesia?

Rima pobre Rima rica Se não rima Menos Poesia A Poesia fica?

2 de agosto de 2017

Fome de Modernidade

Fome de Modernidade

Vi na geada o branco sideral queimar o verde pasto Campos inteiros antes férteis não deram uma semente Trabalhadores da terra apesar seguiram em frente Fazendo jus – e com muito carinho – ao tempo gasto   Lavoura linda enfeitada com chapéu foi extinta O que antes estava confirmado a milhares de sacas Pelas paisagens agora só se vê tristes queimadas matas Que nos cálculos a porcentagem que sobrou não […]

28 de julho de 2017

Fim de semana, por Oberlan Rossetim

Fim de semana, por Oberlan Rossetim

A imaginação é o sábado da razão.