27 de dezembro de 2018

Centopeia Humana e o Realismo Grotesco, de Bakhtin

A Centopeia Humana e o Realismo Grotesco, de Bakhtin

O terceiro filme analisado é “A Centopeia Humana”, um filme de 2009, dirigido por Tom Six, um controverso diretor, produtor e argumentista de filmes nascido nos Países Baixos. Vamos a um rápido release sobre o filme para que eu possa tecer os meus comentários: Duas turistas de Nova Iorque estão a passeio na Alemanha e, ao receber um convite para uma festa, se perdem no caminho num carro locado e […]

24 de dezembro de 2018

[Filme 2] Apóstolo, de Gareth Evans

[Filme 2] Apóstolo, de Gareth Evans

Dirigido por Gareth Evans e estrelado por Dan Steves (Thomas Richardson) – o Matthew de “Downton Abbey” e a Fera do “A Bela e a Fera” –, o filme Apóstolo (Apostle) é um terror/thriller basicamente com muito, muito sangue.     O longa conta a história de Thomas tentando resgatar sua irmã numa ilha que tem como principal norte uma seita religiosa. O controle de habitantes dessa ilha é rigoroso, […]

22 de dezembro de 2018

[15 filmes em férias] Bird Box, com Sandra Bullock

[15 filmes em férias] Bird Box, com Sandra Bullock

Inicio hoje minhas férias nas atividades convencionais (extrablog) e resolvi criar uma pequena série com filmes indicados. Escreverei, resumidamente, sobre um filme por dia, durante os próximos 15. Poderia indicar filmes consagrados ou os meus favoritos da história, porém resolvi me permitir também nesse período, descobrindo novos títulos e, portanto, vou fazer esse resuminho aqui que se baseará muito mais em minhas impressões sobre o longa. O primeiro da série […]

29 de novembro de 2018

A (META)LINGUAGEM DE WOODY ALLEN EM A ROSA PÚRPURA DO CAIRO

A (META)LINGUAGEM DE WOODY ALLEN EM A ROSA PÚRPURA DO CAIRO

Em A rosa púrpura do Cairo, a noção de autoria é relativizada logo no início do filme, com a imagem do título do filme, que o espectador julga ser uma criação de Woody Allen, em um cartaz, em um cinema de New Jersey, cenário da história. A coincidência de títulos passa, então, a servir de obstáculo para a apreensão da estrutura do filme de Allen, que abrange, dentro de si, […]

3 de novembro de 2018

O PASSADO E O FUTURO NO FILME UMA HISTÓRIA DE AMOR E FÚRIA 2

O PASSADO E O FUTURO NO FILME UMA HISTÓRIA DE AMOR E FÚRIA

Uma história de amor e fúria é um filme brasileiro de animação, dirigido por Luiz Bolognesi, que estreou em 2013. Nele, a História do Brasil é contada a partir de fatos históricos que construíram o país e que até hoje fazem parte da identidade nacional. O filme teve boa repercussão e foi indicado para o Annecy, festival que, com Uma história de amor e fúria, contou, pela primeira vez, com […]

14 de setembro de 2018

Tradição e tradução na Sétima Arte

Tradição e tradução na Sétima Arte

O processo contínuo da formação da identidade, conforme Stuart Hall […], há a ênfase nas origens, na continuidade, na tradição e na intemporalidade. A identidade nacional é representada como primordial — “está lá, na verdadeira natureza das coisas”, algumas vezes adormecida, mas sempre pronta para ser “acordada” de sua “longa, persistente e misteriosa sonolência”, para reassumir sua inquebrantável existência […]. Os elementos essenciais do caráter nacional permanecem imutáveis, apesar de […]

14 de junho de 2018

Transformações do literário no filme Lisbela e o Prisioneiro 2

Transformações do literário no filme Lisbela e o Prisioneiro

(Atenção: alerta de spoilers.)* Metalinguagem   Na esteira da peça de Osman Lins, um dos assuntos do filme Lisbela e o prisioneiro (BRA, 2003), de Guel Arraes, é o próprio cinema. Na peça do escritor pernambucano, já há referência ao cinema, mas de modo sutil. Jaborandi, o cinéfilo do texto, empresta essa sua característica a Lisbela, que, no longa, além de acompanhar os seriados, também ensina Douglas sobre como se […]

1 de março de 2018

Faroeste Caboclo: A versão fílmica da literatura musical de Renato Russo 3

Faroeste Caboclo: A versão fílmica da literatura musical de Renato Russo

Uma das músicas mais longas do rock nacional virou filme. Faroeste caboclo, escrita por Renato Russo, na década de 1970, e lançada em 1987, pela Legião urbana, no disco Que país é este 1978/1987, foi o ponto de partida para o roteiro do longa Faroeste caboclo. O filme brasileiro foi lançado em maio de 2013, com roteiro de Marcos Bernstein e Victor Atherino; direção de René Sampaio; e atuações de […]

1 de fevereiro de 2018

‘La Casa de Papel’ e a quebra da monotonia no Netflix

‘La Casa de Papel’ e a quebra da monotonia no Netflix

“La casa de papel” provoca um “boom” no streaming Netlfix e na web. Sempre fui um entusiasta do cinema espanhol. Vi a maioria dos filmes do Pedro Almodóvar, tenho um carinho especial por “A pele que habito”, e me surpreendi com a qualidade do enredo e a condução da direção do filme “Um contratempo”, do diretor e roteirista Oriol Paulo. Eu resenhei inclusive sobre ele aqui no blog (leia clicando aqui). Cito esses […]

21 de dezembro de 2017

As funções do regionalismo em 'O Auto da Compadecida' 3

As funções do regionalismo em ‘O Auto da Compadecida’

  O filme O auto da Compadecida, de Guel Arraes, retoma a tendência regionalista, que prevaleceu, sobretudo na literatura (atentando para o fato de o filme ter sido baseado na peça homônima, escrita por Ariano Suassuna), desde a época de 1930 até o início da década de 1950, quando ganhavam destaque os trabalhos de João Guimarães Rosa e João Cabral de Melo Neto. O romance de 30, principalmente, filiava-se à […]