16 de janeiro de 2018

Suco de Laranja

Suco de Laranja

Da laranja, esse suco E a laranja é do pomar. É da fazenda, o pomar E de Manhumirim, a Fazenda Santa Lúcia Procure no Google Maps. De Minas Gerais, Manhumirim, Do Brasil, Minas. Da Terra, o Brasil; Do sistema solar, a Terra. Da Via Láctea, o Sol. Do Universo, as galáxias. E do Universo… Do Universo?, o Mistério Sem atual perspectiva Sem invencionice, sem deuses. Só sua (E)existência, E é […]

11 de janeiro de 2018

O vale de carícias

O vale de carícias

Restos do ontem na carne de hoje Desejo que estende-se onde há saudade Carícias que jazem no vale Cavado pela tua potência produtora de paixão     Confira outros textos poéticos no site clicando aqui.

31 de outubro de 2017

31 poemas de Drummond musicados por Belchior

31 poemas de Drummond musicados por Belchior para celebrar o seu aniversário

No disco “As várias caras de Drummond”, Belchior homenageia o Drummond, musicando 31 de seus poemas. “Em entrevista concedida ao Jornal do Brasil em julho de 1987, um Carlos Drummond de Andrade abatido e desesperançoso declarou acreditar que seria esquecido tão logo nos deixasse. Dezessete dias depois ele nos deixou. Mas, ao que tudo indica, não foi esquecido. No ano em que Drummond completaria 101 anos, a Editora Caras, em […]

15 de setembro de 2017

Quem sabe amar? 1

Quem sabe amar?

Poesia é com Oberlan Rossetim.

3 de setembro de 2017

Choro

Choro

Eu choro bastante. As flores, os sentimentos. Gestos-delícia. As melodias também. A vida aglomera-se em meus olhos. Minhas lágrimas são gotas de beleza. Eu choro bastante. As mortes, as dores, a violência. A indiferença também. Tristeza decompositora. O desamor pesa em meu olhar. Tanto peso faz ele suar, gotejar. Minhas lágrimas são marcas de cansaço na estrada do sonhar. Mas o belo e o melancólico vai construindo o meu lacrimejar […]

9 de agosto de 2017

Desplugando-me

Desplugando-me

Desplugou-se os cabos e descobri um mundo real Conectei-me ao universo do beijo e do abraço, sem máscaras, nem embaraços. Minha vida não é mais um status.

7 de agosto de 2017

Retenção

Retenção

Já nem suor lacrimejas. Orgulha-te, então, de quê? Do afeto que não transpiras?

3 de agosto de 2017

Um dedo de prosa in natura

Um dedo de prosa in natura

Terra quente Umedecida O que queres em mim fertilizar?   Púrpura Aurora É chegada a hora. Chama flamejante Por que estou a vacilar?   Anseio de libertação Um nó de provocação Que fio de Ariadne está a me apertar?

2 de agosto de 2017

Fome de Modernidade

Fome de Modernidade

Vi na geada o branco sideral queimar o verde pasto Campos inteiros antes férteis não deram uma semente Trabalhadores da terra apesar seguiram em frente Fazendo jus – e com muito carinho – ao tempo gasto   Lavoura linda enfeitada com chapéu foi extinta O que antes estava confirmado a milhares de sacas Pelas paisagens agora só se vê tristes queimadas matas Que nos cálculos a porcentagem que sobrou não […]

1 de agosto de 2017

Um vínculo (des)necessário

Um vínculo (des)necessário

Versado em sentido deixaste cativo o vínculo de um mal atuado.   A coragem que se ausentou do encontro foi a mesma que não compareceu ao desenlace.   Foi na via escorregadia de tua impropriedade que o sentido se perdeu.