17 de janeiro de 2018

Profundo no deserto

Profundo no deserto

Alma errante. Encontrei miragens no deserto. Fui errado, fui certo. Desisti, sumi. Joguei-me para fora do jogo. Busco as cartas para voltar à superfície, a despeito da melancolia de ter de tomar a água inexistente nessas terras para sobreviver. Li num papiro as rotas dos antigos desbravadores. Quantos perderam-se nestas areias. Eu, até já enterrei-me nestas dunas. Não participei da distribuição dos camelos. Não recebi sapatos. Sim, o que importa […]

20 de dezembro de 2017

Estrangeiro em mim

Estrangeiro em mim

Eu sou um estrangeiro em mim mesmo Quantas montanhas de aço já subi? Todas as abelhas me voaram Jorrei mel pelo o que desconheço de mim Mas é bom! Tudo agora é bom! Des-entendo-me e faço-me duplo Um para mim, outro para as incertezas Caminhos? Todos sozinho! Mas aprendi Aprendi que não há aprendizagem sem borboletar-se no jardim do medo e da angústia, Nem da profundeza do engano Fiz-me triste […]

22 de novembro de 2017

Descarte

Descarte [#QuartaPoética]

Descarte – Milene Lunes   Não posso aceitar este amor cartesiano de criança ressentida que tudo duvida menos do próprio pensamento.   Leia outros textos da #QuartaPoética clicando aqui.

22 de novembro de 2017

Azul

Azul

Há Bem Há Mal Azul

15 de novembro de 2017

O homem que só quer brilhar

O homem que só quer brilhar

Um homem sem destino, indo por um caminho tranquilo, procurando e chamando por ele, enveredando uma busca por ilusões, farto de suas dúvidas, respirando ar puro, com seus olhos em chamas…dançantes, querendo ver sempre os pássaros que, como jardins, enchem a sua esperança. Um homem que cuida de sua alma, regando as flores de seu passado, dando ração aos cães do seu futuro. Outros que nele leem os anos novos […]

8 de novembro de 2017

Impossível

[Quarta Poética] Impossível

O Impossível protege os meus pés De chegarem mais perto da minha conclusão, Que seria em vão, Não tivesse eu tirado os sapatos à entrada, Na minha Origem. Concluo-me quando não estou disponível a interpretações.

25 de outubro de 2017

[Quarta Poética] Suspiros Poéticos

[Quarta Poética] Suspiros Poéticos

Sorrio e pranteio pelo teu sorriso, O mais belo que eu já pude contemplar. Dizer que és um anjo do paraíso Seria eufemismo para te explicar: Tu és mais! Mas não há como eu ser preciso Ou não me tornar indeciso em te amar E te descrever, por seres qual Narciso, Pois te apaixonaste por teu próprio olhar. Os teus olhos são os versos mais bonitos E doces, jamais podendo […]

18 de outubro de 2017

[Quarta Poética] O fantasma da Ópera

[Quarta Poética] O fantasma da Ópera

Nas profundezas duma ópera sombria Morava um ser medonho, porém talentoso, Que enlevava com seu almo canto harmonioso, Em suas notas doces de melancolia; Olhos doirados, face obscura e doentia, Ele vagava no anoitecer silencioso, Languidamente, envolto em manto tenebroso, Disseminando sua pérfida magia. O malfadado só sonhava ser amado, Afinal, nem seu pai nem sua mãe o amara, E o seu coração triste tornou-se gelado! Meu caro Erik, se […]

18 de outubro de 2017

1

[Quarta Poética] Beijo burocrático

Foram se perdendo na vivência Disseram o que convém Intimidade cheia de ausência “Eu te amo.” “Eu também.” Do desejo ao meu hálito Burocrático beijo virou hábito   Leia outros textos da Quarta Poética clicando aqui

4 de outubro de 2017

[Quarta Poética] A Cura

[Quarta Poética] A Cura

Necessito unir o que virou chaga Dor e desilusão cicatrizam a ferida Devo beber o sangue derramado E ver crescer meu Eu – a terra prometida. Vinho doce do cálice sagrado Venha a mim como prece proferida Derrama tua sede nesta alma atormentada Faz de mim guardiã da nova vida!   Confira outros textos da Milene Lunes no portal clicando aqui. Milene também é professora de artes, confira o seu trabalho […]