5 de abril de 2018

Instante por instante 1

A literatura múltipla e analógica de S.¹

Verônica Daniel Kobs2   Neste artigo, analisaremos o livro S., de J. J. Abrams e Doug Dorst. Em plena era digital, essa obra literária mantém a preocupação com a relação intersemiótica e com a multimodalidade, mas privilegiando a mídia impressa. Com base nessa particularidade e sob a perspectiva do texto múltiplo, objetiva-se apresentar e discutir os recursos textuais usados pelos autores para consolidar a pluralidade e a complementaridade em S. […]

28 de março de 2018

Instante por instante 2

Instante por instante

Quando pensamos em existencialismo, certamente lembramos de Dostoiévski (e literatura russa no geral), Sartre, Nietzsche, Kierkegaard. Pensamos em narrativas ou análises filosóficas complexas, às vezes tão difíceis que nos deixam com dor de cabeça ou com aquela sensação de que sabemos nada sobre nada. É natural para uma pessoa adulta, que muito provavelmente já passou por momentos ruins durante a vida, contemplá-los e perceber que há duas opções frente ao […]

28 de setembro de 2017

O novo gótico na sociedade contemporânea

O novo gótico na sociedade contemporânea

Este trabalho relaciona o romance Drácula (1897), de Bram Stoker, às narrativas contemporâneas da literatura e do cinema, as quais fazem parte do que pode ser considerado como novo gótico. A partir de Drácula, obra precursora no mito do vampiro, personagem considerado um morto-vivo, são estudados o livro Memórias desmortas de Brás Cubas (2010), de Pedro Vieira; e o filme Drácula, a história nunca contada (Dracula untold, EUA, 2014), do […]

11 de outubro de 2016

O público: Espectador e personagem na obra de Nelson Rodrigues – por Verônica Daniel Kobs

Profa. Dra. Verônica Daniel Kobs** O erotismo, na obra de Nelson Rodrigues, funcionava como principal agente da quebra de tabus, necessária para a transgressão das normas sociais, instalando, assim, o conflito que essas travam com o instinto:  As opções de Nelson Rodrigues não foram as que então se esperavam. Crítica e público desapontavam-se com o clima crescentemente mórbido de sua dramaturgia, com o acúmulo de situações anômalas e de pormenores […]

27 de setembro de 2016

Dalton Trevisan e a literatura do contra, por Verônica Daniel Kobs

HISTÓRIAS DE DALTON Profa. Dra. Verônica Daniel Kobs¹ João e Maria: infelizes para sempre² Fazem parte da mitologia daltoniana os personagens João e Maria, que, apesar de serem nomeados, são gerais, anônimos, estereótipos que se enfrentam diariamente, na interminável guerra conjugal. Dalton Trevisan dessacraliza o casamento e revela a violência, as frustrações e a infelicidade da vida privada. No que diz respeito às relações conjugais e familiares, os contos do […]