6 de setembro de 2017

Elegia - Quarta Poética

Elegia – Quarta Poética

À sombra do escuríssimo cipreste, Próximo destas árvores chorosas, Descerram-se lembranças dolorosas Do derradeiro beijo que me deste.   Recordo-me de teu olhar celeste, A então contemplar as lôbregas rosas, Que estavam congeladas… mas brilhosas, Pelo Inverno, — que de dor tudo veste. —   A face deplorando amargo pranto, Sobre um gótico túmulo, falaste: “Vê como de tais flores morre o encanto!   O Inverno da vida também — […]