11 de janeiro de 2018

O vale de carícias

O vale de carícias

Restos do ontem na carne de hoje Desejo que estende-se onde há saudade Carícias que jazem no vale Cavado pela tua potência produtora de paixão     Confira outros textos poéticos no site clicando aqui.

20 de dezembro de 2017

Estrangeiro em mim

Estrangeiro em mim

Eu sou um estrangeiro em mim mesmo Quantas montanhas de aço já subi? Todas as abelhas me voaram Jorrei mel pelo o que desconheço de mim Mas é bom! Tudo agora é bom! Des-entendo-me e faço-me duplo Um para mim, outro para as incertezas Caminhos? Todos sozinho! Mas aprendi Aprendi que não há aprendizagem sem borboletar-se no jardim do medo e da angústia, Nem da profundeza do engano Fiz-me triste […]

13 de dezembro de 2017

Dor

Dor

Na flor do entardecer espinhos nasceram e sangraram o dedo da tua imaginação.     Leia outras poesias da #QuartaPoética clicando aqui.

3 de dezembro de 2017

Ilustres desconhecidos da poesia brasileira: Cícero França 2

Ilustres desconhecidos da poesia brasileira: Cícero França

Nascido em União da Vitória (PR) no ano de 1884, Cícero Marcondes de França foi um jovem poeta paranaense. Colaborou em jornais e revistas de Curitiba e Paranaguá. No ano de 1905, publicou seu único livro em vida, “Necrotério d’alma”. No ano de 1953, a obra foi publicada pela segunda vez, juntamente com “Pedras Brutas” – seleção de poemas póstumos do autor. À maneira do spleen baudelairiano, França estabelece a […]

8 de novembro de 2017

Impossível

[Quarta Poética] Impossível

O Impossível protege os meus pés De chegarem mais perto da minha conclusão, Que seria em vão, Não tivesse eu tirado os sapatos à entrada, Na minha Origem. Concluo-me quando não estou disponível a interpretações.

31 de outubro de 2017

31 poemas de Drummond musicados por Belchior

31 poemas de Drummond musicados por Belchior para celebrar o seu aniversário

No disco “As várias caras de Drummond”, Belchior homenageia o Drummond, musicando 31 de seus poemas. “Em entrevista concedida ao Jornal do Brasil em julho de 1987, um Carlos Drummond de Andrade abatido e desesperançoso declarou acreditar que seria esquecido tão logo nos deixasse. Dezessete dias depois ele nos deixou. Mas, ao que tudo indica, não foi esquecido. No ano em que Drummond completaria 101 anos, a Editora Caras, em […]

18 de outubro de 2017

1

[Quarta Poética] Beijo burocrático

Foram se perdendo na vivência Disseram o que convém Intimidade cheia de ausência “Eu te amo.” “Eu também.” Do desejo ao meu hálito Burocrático beijo virou hábito   Leia outros textos da Quarta Poética clicando aqui

4 de outubro de 2017

[Quarta Poética] A Cura

[Quarta Poética] A Cura

Necessito unir o que virou chaga Dor e desilusão cicatrizam a ferida Devo beber o sangue derramado E ver crescer meu Eu – a terra prometida. Vinho doce do cálice sagrado Venha a mim como prece proferida Derrama tua sede nesta alma atormentada Faz de mim guardiã da nova vida!   Confira outros textos da Milene Lunes no portal clicando aqui. Milene também é professora de artes, confira o seu trabalho […]

15 de setembro de 2017

Quem sabe amar? 1

Quem sabe amar?

Poesia é com Oberlan Rossetim.

13 de setembro de 2017

Química Profana

Química Profana [Quarta Poética]

Alma seca sedutora   oca.   Metal fraco ilusão de ouro.   Derrama – joia falsa – teu quilate (condição de chumbo) carne que abate.   Alegra-te espírito ausente – ardilosamente – em cínica alquimia.     Confira outros textos da Milene Lunes no portal clicando aqui. Milene também é professora de artes, confira o seu trabalho clicando aqui.