16 de agosto de 2017

Tsunami

Tsunami – Quarta Poética

Mar denso de azul e preto abarcando imensidão.   Espumas lâminas noturnas submundo de  arrebentação.   Garras vingativas porque me olham assim tão altivas diante de tamanha humilhação?   Liquidez Soberana tenha piedade desta alma iniciada, mas ainda ancorada entre veludos e paetês.   Hesitante te peço outra chance para conduzir águas gestantes por meandros sinceros deste vasto coração.

16 de agosto de 2017

POR ONDE?

Por onde? – Quarta Poética

Perco-me em mim à procura de ti Minh’alma com seus passos Do Amor junta os pedaços Buscando uma direção que a faça Crer num caminho além da perdição

9 de agosto de 2017

Desplugando-me

Desplugando-me

Desplugou-se os cabos e descobri um mundo real Conectei-me ao universo do beijo e do abraço, sem máscaras, nem embaraços. Minha vida não é mais um status.

26 de julho de 2017

IV

[Quarta Poética] IV

Sôfrego afundo No quão grande oceano Das palavras que me puxam Trôpego fujo Estão ao encalço, canso Minguam, murcham As forças ou quê? Já me afogaram Mas lá se vê O resgate, me elevam De novo, e de novo Não sou estorvo Escrevo, sim Pois não há de ser mais assim