21 de janeiro de 2018

Canção de Valhalla

Canção de Valhalla

“Já vem escuridão e trevas, e devemos cavalgar Para Valhalla, para o salão sagrado.” Edda Poética, “Hyndluljóð” Cantaremos na noite a canção de Odin, Neste evento bélico das nossas vidas: Feridas profundas em almas perdidas, Eternos banquetes, batalhas sem fim! Avante guerreiros! morramos assim: Fúria destemida e cabeças erguidas, Pois as mais sublimes honras e bebidas Nos aguardam no mais divino festim! Guiados pelas Valquírias na frieza Do norte mais […]

25 de outubro de 2017

[Quarta Poética] Suspiros Poéticos

[Quarta Poética] Suspiros Poéticos

Sorrio e pranteio pelo teu sorriso, O mais belo que eu já pude contemplar. Dizer que és um anjo do paraíso Seria eufemismo para te explicar: Tu és mais! Mas não há como eu ser preciso Ou não me tornar indeciso em te amar E te descrever, por seres qual Narciso, Pois te apaixonaste por teu próprio olhar. Os teus olhos são os versos mais bonitos E doces, jamais podendo […]

18 de outubro de 2017

[Quarta Poética] O fantasma da Ópera

[Quarta Poética] O fantasma da Ópera

Nas profundezas duma ópera sombria Morava um ser medonho, porém talentoso, Que enlevava com seu almo canto harmonioso, Em suas notas doces de melancolia; Olhos doirados, face obscura e doentia, Ele vagava no anoitecer silencioso, Languidamente, envolto em manto tenebroso, Disseminando sua pérfida magia. O malfadado só sonhava ser amado, Afinal, nem seu pai nem sua mãe o amara, E o seu coração triste tornou-se gelado! Meu caro Erik, se […]