Made in China – Gráficas chinesas são opções mais baratas para o mercado editorial brasileiro

Made in China – Gráficas chinesas são opções mais baratas para o mercado editorial brasileiro

Você sabia que todos os anos toneladas de livros impressos na China desembarcam no Brasil? Com o comércio Chinês expandindo cada vez mais em todas as áreas, logicamente o mercado gráfico não ficaria de fora.

De acordo com uma matéria publicada no site O Globo, dados do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, o Brasil importou da China 13,5 mil toneladas de livros em 2012. Foram aproximadamente 2 mil toneladas a mais do que em 2011. O total de 2012 supera em quatro vezes o volume de livros que veio da Europa, região que ocupa o segundo lugar no ranking das importações de livro.

Segundo Aline Valle, gerente de produção gráfica da Cosac, a produção de livros na China garante um preço mais baixo também para os consumidores:

“— A gente optou por imprimir alguns livros na China porque, em vários casos, aqui no Brasil, eles seriam completamente inviáveis. É o que ocorre com Linha do tempo do design gráfico do Brasil. Se tivesse sido impressa aqui, a edição custaria R$ 400” (a obra custa em torno de R$ 200 no site da editora).

O maior problema em imprimir livros na China, são os prazos, pois as entregas vêm de navio e podem levar até 120 dias para chegar ao território brasileiro. Ainda assim, nessa matéria, o editor da editora George Ermakoff conta que paga de R$ 0,40 a R$ 1 pelo frete de cada livro.

Analisando todas as informações, é possível observar que, de fato, as gráficas chinesas são uma opção muito mais viável para as editoras brasileiras: Os livros saem muito mais baratos (imagino que dependendo da demanda, devem custar centavos), o frete é muito mais barato e eles vão poder cobrar muito mais do consumidor. Por exemplo, eles pagam 0,40 centavos em um livro e vendem aqui por R$ 19,90 (ou mais).

É uma jogada simples que acaba afetando o mercado gráfico brasileiro, mas tudo isso são consequências dos nossos altíssimos impostos. Os materiais para a impressão são muito mais caros aqui, o que implica em um produto consequentemente mais caro. Com o problema dos prazos chineses, as editoras não podem contar com o outro lado do mundo para a produção de livros que precisam ser repostos mais rapidamente, como é o caso dos best-sellers.

Pois é, se você achou que só as suas roupas e os seus eletrônicos vinham da China, estava enganado.

O mundo é made in China.

 

Fonte: https://oglobo.globo.com/cultura/com-precos-ate-50-menores-do-que-no-brasil-graficas-chinesas-seduzem-editoras-nacionais-8444947#ixzz4rnkNFf3o
stest

Sara Muniz

Sara Muniz

Sara Muniz, 22 anos, formada em Letras Português-Inglês, criadora e idealizadora do blog Interesses Sutis desde 2014, professora de inglês em tempo integral, escritora, revisora e redatora nas horas vagas. Trabalha para comer, viajar e comprar livros. E-mail: saramunizz@gmail.com

2 comentários sobre “Made in China – Gráficas chinesas são opções mais baratas para o mercado editorial brasileiro

  1. Bom dia, Sara.
    Você tem alguma informação mais atualizada sobre esse assunto?. Escrevi um livro de ficção e gostaria de publica-lo, mas de forma independente, sem editora. Imprimi-lo na China seria, hoje, uma boa opção? Voce tem algum contato ou site que possa ajudar a encontrar graficas na China, para uma cotação?
    Obrigado.

    1. Bom dia, Walter!

      Infelizmente não tenho nenhuma atualização ou experiências com o mercado gráfico da China para te ajudar. Acredito que, no momento, com a situação do coronavírus, não seja uma boa opção, uma vez que muitas coisas de lá não estão sendo entregues no Brasil ou no mundo. Não conheço nenhuma gráfica específica, mas vi que se você jogar no Google “print your book in China”, aparecem inúmeras opções!

      Boa sorte!

      Abraços

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *