Vai cortar essa unha, menino!

Vai cortar essa unha, menino!

— Vai cortar essa unha, menino — a mãe disse, talvez pela septuagésima sétima vez.

Ele a ignorou, gostava das unhas grandes. Estava se arrumando para ir a uma festa. Terminou de se arrumar. A mãe o acompanhou até o ponto de ônibus.

— Você não cortou essas unhas?

Ele aproveitou que o ônibus tinha chegado e embarcou de imediato, para evitar falar qualquer coisa sobre as unhas.

Sentou-se num banco e ficou resmungando, dizendo o quanto ela era chata. Sentiu uma coceirinha dentro do nariz e enfiou o dedo indicador dentro dele para cutucá-lo. Neste momento o ônibus deu um solavanco e seu dedo enfiou com força nariz adentro. Ele tirou o dedo do nariz. A ponta da unha suja de sangue.

— Ixi! — disse.

Sangrou pelo nariz até a morte.

 

Acompanhe a coluna semanal do autor clicando aqui.
Farrel Kautely

Farrel Kautely

Farrel Kautely, 1994, é de Belo Horizonte. Escritor e professor, atualmente reside em Mariana - MG, onde cursa Letras pela Universidade Federal de Ouro Preto. Possui várias obras publicadas, dentre elas "Minúscula Pulga" (romance), "Picas da Galáxia" e "Sushipeia" (crônicas) e "O mínimo que você precisa fazer para ser um completo idiota" (ensaios e pequenos artigos). E-mail: kauty.s@gmail.com

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *