Eles nunca viram o baixinho jogar: Ensina, Romário!

Estava assistindo o Derbi (Palmeiras x Corinthians) no último sábado, em um bar na Rua 24 Horas, em Curitiba, como de costume. Cerveja gelada, resenha de pré-jogo com os amigos e aquela ansiedade a mil pelo clássico.

O favoritismo estava, evidentemente, com o clube Alviverde. Último campeão nacional, manutenção do elenco, mais contratações de peso, melhor momento econômico e administrativo, e por aí vai…

Mas clássico é clássico, e vice versa, como diz o outro. Não deu outra: bola manjada na área, distração tosca do latetal direito (principalmente) e Danilo Avelar, o Judas dentro do próprio elenco dos caras, marcou e o time de Itaquera venceu, improvavelmente, o clássico.

Não bastasse o já dito, o duelo marcou meus amigos e eu por outro episódio grotesco, a pontaria dos palmeirenses. “Meu Deus!”, diria Avalone.

Um erro atrás do outro, entretanto aquele que todos se lembram bem, de cabeça, do Carlos Eduardo, o “Alegria nas pernas parte 2” do Felipão, foi bizarro. Provocou a ira dos colegas presentes no bar e da grande massa palestrina. Entre nós, gritamos uníssonos: nunca viu o Romário jogar.

Das maiores alegrias que o futebol já me concedeu foi a de contemplar o baixinho cabeceando, quase sempre para o chão, e marcando verdadeiros golaços dentro da pequena área. Não errava nunca, meu San Genaro!

Aposto que o “Ensina, Romário” dedicou um tempo das suas verdadeiras aulas de futebol ao Cadu, como já é conhecido, para que o moleque não erre nunca mais, pelo menos não nos derbis, ou voltará, sem dúvidas, ao ostracismo milionário das Arábias, se tiver sorte. A torcida não perdoa, principalmente a que viu tantas tardes (e noites) o baixinho jogar.

 

 

Leia outros textos do editor Cássio de Miranda clicando aqui.
Cássio de Miranda

Cássio de Miranda

Editor da Recorte Lírico. Baiano, mas exilado no Sul do país. Escreve sobre livros, filmes e séries. Pai, professor e escritor, não necessariamente nessa ordem. E-mail.: cassiodemiranda91@gmail.com; cassiodemiranda@recortelirico.com.br;

2 comentários sobre “Eles nunca viram o baixinho jogar: Ensina, Romário!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *