Buenos Aires e bom ar – Poesia de Dora de Assis [Revista Recorte Lírico]

Buenos Aires e bom ar – Poesia de Dora de Assis [Revista Recorte Lírico]

Buenos Aires e bom ar

uma piada
da qual
ninguém riu

como quando ao
fritar um ovo cai
ali
o pinto morto
no azeite


vaza vermelho o sol neon


vou menstruar em buenos aires
junto do bom ar acoplado
à parede do banheiro
antes disso
ficamos presas na portaria
para fora da casa
só que dentro do prédio


nós duas ali
em modo avião sem pouso podia
ser qualquer lugar
mas era buenos aires onde
o dinheiro é um peso
a fala seca ainda na língua e
às vezes uma porta dá em outra porta
hoje fez sol mas
onde bate luz sempre tem sombra de sobra


e de dentro do aquário da espera sem bancos,
havia a vitrine da rua,
com toda tragédia dos trajetos


onde continuavam a nadar as vidas todas a caminho de
fiquei em pé assistindo filme argentino

Poesia de Dora de Assis foi originalmente publicada na Revista Recorte Lírico. Edição Jorge Luis Borges (2020.2) – https://www.revista-recortelirico.com.br/
doradeassis02 1 - Buenos Aires e bom ar – Poesia de Dora de Assis [Revista Recorte Lírico]

Dora de Assis é atriz, performer e poeta.
Instagram: @doradeassis
dora.deassis@hotmail.com

Redação Recorte Lírico

Redação Recorte Lírico

Redação do Recorte Lírico. E-mail.: contato@recortelirico.com.br e recortelirico@gmail.com

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *