O outro lado da vida de Dercy

O outro lado da vida de Dercy
O outro lado da vida de Dercy

O trânsito do mundo espiritual é intenso. Algumas psicografias trazem personagens lembrados com pouca frequência pelas pessoas. A carta de além-túmulo de Dercy Gonçalves resgata Aracy de Almeida. A comediante morta falou do encontro com a cantora em um bas-fond de outra dimensão¹.

Primeiro que me encontrei com a Aracy de Almeida …lá embaixo também. Na zona dos ‘fudidos’ pelo temperamento do cão”.

O lado A das psicografias pertence à FEB (Federação Espírita Brasileira), com a busca de legitimidade das comunicações, etc…Sem espaço para o improviso, isto é, a ficção. O lado B, descentralizado, possui uma inventividade atraente, com a participação de entidades díspares.

A importância da psicografia de Dercy Gonçalves é a constatação da Marquês de Sapucaí mística em que Sai Baba, Jesus, Buda, Krishna, Chico Xavier, Virgem Santa, Pretos Velhos todos andam de mãos dadas numa caminhada espiritual sem diferença alguma. É a religiosidade brasileira.

“E, eu [ Dercy Gonçalves ], pra seguir as pegadas dele e de Jesus Cristo, de Buda, de Krishna, de Chico Xavier, da Virgem Santa, de Mestra Nada, dos Pretos Velhos, que me disseram que são de outra dimensão, ou de quem quer que seja que esteja aproveitando mais a sua vida do que eu, e deixando ensinamentos à humanidade”.

O elemento cômico indesejável na psicografia de Dercy Gonçalves, atentado à verossimilhança, é o recurso à nobreza de uma vida passada para a justificativa das excentricidades da atriz, inclusive a do mausoléu em sua cidade natal. Utilizaram os castelos escoceses na argumentação.

“– ‘Dolores, minha querida rainha de Escócia !”

“Daí ela me levou para um lugar muito claro, lindo e cheiroso. Eram os campos da Escócia da atualidade.”

“Havia tido uma união da Inglaterra com a Escócia e eu havia participado disso.”

Em um exercício de leitura crítica, a psicografia de Dercy Gonçalves serviu para os apontamentos: justificativa da megalomania da atriz, falange espiritual equivocada, por uma questão geográfica, com Aracy de Almeida e crítica à nobreza pela afetação levada à outra vida.

1 “ Quem a batizou na esbórnia da Lapa foi Noel Rosa”, observa Logullo, ainda na introdução. “O samba de Noel era repleto de nuances e harmonias, bem diferente das composições dos sambistas surgidos na casa da legendária quituteira/macumbeira/sambista Tia Ciata – como Sinhô, Assumano e Donga. Noel era um lírico do Mangue, das boêmias de Vila Isabel, da cidade urbanizada.”

https://www.bemparana.com.br/noticia/aracy-de-almeida-uma-dama-en cantada–#.YBViD59v80M

Link para a carta psicografada de Dercy Gonçalves:

https://www.otvfoco.com.br/dercy-goncalves-volta-em-carta-psicografad a-e-revela-detalhes-impressionante-de-sua-morte/amp/

Comentários
Mariel Reis

Mariel Reis

Mariel Reis é contista, poeta e ensaísta. Trabalha com Leitura Crítica de originais em prosa ou poesia. E-mail: marielreis.rj@gmail.com

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.