“Não chores mais” in Visões

“Não chores mais” in Visões

Não chores mais

Pelo que não passou
pelo vento que nada levou
por aquilo que não fomos
por todos os beijos trocados
e pelos braços cruzados
à espera de amanhãs de anil

já era tarde quando as açucenas nos acenaram
e os raios de Sol os olhos queimaram
já era tarde
foi sempre tarde quando te conheci
e agora ainda é cedo para te esquecer
porque ninguém esquece outro que se tornou nós

são sombras do teu corpo nos meus corredores
traços leves da tua ternura
são ecos da tua voz nos meus frissons
é o estremecimento da minha alma quando chamas o meu nome
é o ciciar delicado da tua proximidade
e a ciranda das tuas carícias

Tão longe que nem a saudade chega a horas
mas não chores mais, minha alma
não chores mais
deixa o mundo rodar
bonecos entram e saem
e quase tudo é um carnaval
tintas por tintas
vazio em vazio
só me resta a dor no meu corpo
o rugido dos leões da tua ausência
a surdez aos violinos do teu sorriso

Mas não chores mais
o universo não existe sem nós
somos só uma coisa que dura
e a outra perdura
as nossas danças secretas
o volteio mágico da tua roupa a cair
a entrega nos teus olhos
onde eu mergulhei na luz do teu corpo

Mas não chores mais
os braços são para as despedidas
d e s p e d a ç a d o s
diz-me adeus e mata-me
mas não chores mais
porque nos teus olhos
ninguém vê que eu estou sepultado em ti
não chores mais
ninguém ouve nos soluços a nossa canção eterna

não chores mais
… as lágrimas não apagam o amor

Luiza - "Não chores mais" in Visões
Richard Burlet

Frank Wan, Não chores mais, in Visões (no prelo)

Comentários
Frank Wan

Frank Wan

Frank Wan é escritor, professor, pesquisador, tradutor, co-editor do Recorte Lírico, editor da Scripsi e outras. Vive, de momento, em Portugal. E-mail: ira.wan@hotmail.com

2 comentários sobre ““Não chores mais” in Visões

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.