Fundamentos da linguagem SEO

Fundamentos da linguagem SEO

Hoje em dia, a publicação on-line é algo cada vez mais frequente e, nesse contexto, as tags ou palavras-chave têm grande importância. Na verdade, a escolha desses elementos não apenas deve dar uma ideia geral do conteúdo do texto, como também deve estar em sintonia com o título. Em síntese, as tags são o modo de entrada para o texto, garantindo acesso público e irrestrito a leitores e usuários espalhados em todo o mundo.

Linguagem SEO - Fundamentos da linguagem SEO
Figura 1: Os benefícios da linguagem SEO. Imagem disponível em: https://bit.ly/38Ah2x5

Desde que surgiu, a grande rede tornou-se uma imensa biblioteca e, sem dúvida, uma importante vitrine para pesquisadores, escritores e, posteriormente, também para blogueiros. Sendo assim, para definirmos de modo adequado as tags ou as palavras-chave dos textos que escrevemos e publicamos na rede, temos de fazer um simples exercício de alteridade. O objetivo é tentar responder à pergunta: quais palavras as pessoas digitariam, em um site de buscas, para pesquisar textos como aquele que acabamos de escrever? Nesse contexto, também é importante darmos destaque às palavras mais simples. Quanto mais adequada for a palavra, mais ela poderá atender às pesquisas feitas pelos usuários ao redor do mundo. Consequentemente, nosso texto será achado mais facilmente pelos sites de busca.

Outro quesito a ser levado em conta é o tamanho da palavra-chave. É bom evitar expressões longas, com três palavras ou mais. Na área de Letras, o ideal é sempre dar ênfase ao nome da obra analisada, ao nome do autor e a algumas características literárias principais, como, por exemplo: paródia, cibertexto, literatura digital, entre outras.

De acordo com os dados divulgados no site Neil Patel Digital, o Google lidera o ranking dos buscadores mais utilizados no mundo (NEIL PATEL DIGITAL, 2019). Isso demonstra a importância das palavras-chave para a repercussão de um texto. Portanto, é preciso “encontrar formas de aparecer em destaque entre os resultados do Google e plataformas semelhantes” (NEIL PATEL DIGITAL, 2019).

Foi aí que surgiu o SEO, sigla para Search Engine Optimization.

São técnicas de otimização de páginas para mecanismos de busca.

Ou seja, com o objetivo claro de ter seus links apontados como solução para as palavras-chave mais importantes para cada nicho.

Quando a estratégia é bem-sucedida, aumenta não apenas o número de visitantes em seus sites, mas também o de leads, que são os potenciais clientes do negócio. (NEIL PATEL DIGITAL, 2019)

Atualmente, a linguagem SEO já é considerada uma das principais estratégias de divulgação, na era da Web 3.0. O efeito disso nos faz retomar a questão da alteridade, o que nos leva a pensar como internautas (e não apenas como autores). Nesse contexto, Cassiano Travarelli destaca alguns princípios básicos: “Usuários comuns de sites de busca não pensam em termos de assuntos genéricos” (TRAVARELLI, 2019). Desse modo, “é necessário ter em mente que eles irão escrever em uma linguagem totalmente natural no momento da busca” (TRAVARELLI, 2019). Para atender a dois perfis distintos de autores (que têm de escolher boas palavras-chave para seus textos), Travarelli vai além, e oferece duas estratégias. A mais simples envolve “um brainstorm sobre o seu nicho de mercado” (TRAVARELLI, 2019), para que algumas pessoas, que atuam em nossa área, possam nos ajudar a definir as tags ou os termos-chave que podemos usar em nosso texto. Já a sugestão mais complexa envolve várias etapas e é voltada para autores mais detalhistas, com uma experiência que vai além do básico, quando se trata de computador e Internet:

– Crie uma grande lista dos possíveis termos a serem buscados, os quais seu público-alvo possa vir a digitar.

– Calcule o número aproximado de pesquisas reais realizadas nos principais motores de busca (Google, Yahoo, MSN) para cada termo.

– Avalie a concorrência para cada um dos termos de busca – websites que concorrem com o seu para cada um dos termos de busca que você deseja rankear.

– Utilize esta lista para escolher as palavras-chave que possuem alto volume de buscas (muitas pessoas procurando por esse termo todos os dias), e menos concorrência (não muitos websites promovendo-se para esse termo). (TRAVARELLI, 2019)

Com esse roteiro, é impossível errar na escolha. Entretanto, é certo que a experiência tornará esse processo mais rápido e fácil com o tempo. Além disso, a repetição esporádica dessa metodologia e o conhecimento obtido, pela busca e pela leitura constantes de materiais publicados em nossa área de atuação, podem transformar a difícil seleção dos termos-chave em algo quase intuitivo.

Embora as palavras-chave e as tags sejam consideradas praticamente sinônimas, há uma diferença, relativa aos veículos de comunicação e à tipologia textual. As palavras-chave são exigidas nos artigos científicos, texto que segue um formato acadêmico e que é publicado nas revistas indexadas da área profissional a que se destinam. Quanto às tags, vale mencionar que são mais comuns nas redes sociais, sobretudo em blogs, e correspondem a um tipo de texto mais leve, assim como colunas e outros textos de caráter crítico/opinativo.

Não poderíamos encerrar este texto, sem sugerir uma lista de palavras-chave ou tags para ele. Depois de alguns testes, usando o Google como parâmetro, selecionamos os seguintes termos: linguagem SEO; palavra-chave; buscadores. Esse treino, apesar de rápido, produziu resultados interessantes. Optamos por linguagem SEO pelo fato de ser algo mais específico. Porém, apenas SEO ou seo já seriam boas escolhas, pois essas formas reduzidas produziram os mesmos resultados que conseguimos obter com linguagem SEO. O maior problema mesmo foi com o termo tag, que não incluímos na lista, por uma razão bem simples: quando essa palavra foi digitada no site de busca, todos os resultados correspondiam à outra TAG (Transtorno de Ansiedade Generaliza), revelando um tema bem distinto daquele de que tratamos aqui. Isso demonstra que, depois de definidas as palavras-chave, seja por meio de brainstorm, do roteiro completo sugerido por Travarelli ou pelo método intuitivo, sempre é necessário simular uma busca simples, para garantir que escolhemos os melhores termos para apresentar nosso texto. Com certeza, esse é um modo eficaz de verificação.

REFERÊNCIAS

NEIL PATEL DIGITAL. Sites de busca: Conheça os 10 buscadores mais usados no mundo. Disponível em: <https://neilpatel.com/br/blog/sites-de-busca/>. Acesso em: 13 out. 2019.

TRAVARELLI, C. Pesquisa de palavras-chave. Disponível em:

<http://www.infoprodutosbrasil.com/pesquisa-de-palavras-chave/>. Acesso em: 14 set. 2019.

Comentários
Verônica Daniel Kobs

Verônica Daniel Kobs

Pós-Doutorado na área de Literatura e Intermidialidade (UFPR). Professora do Mestrado e do Doutorado em Teoria Literária da UNIANDRADE. Professora do Curso de Especialização em Letras da PUC-PR. Professora do Curso de Graduação de Letras da FAE. Autora do blog Interartes: Artes & Mídias (https://danielkobsveronica.wixsite.com/interartes). E-mail para contato: danielkobs.veronica@gmail.com

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *