O primeiro cavaleiro do apocalipse

O primeiro cavaleiro do apocalipse

O último livro do cânone bíblico cristão é conhecido, nos países de línguas latinas, como “O Livro do Apocalipse”, em inglês e noutras línguas tende a tomar outros títulos Livro da Revelação (Book of Revelation), Livro das Revelações (Book of Revelations), Revelação de João (Revelation to John), etc.

A palavra “apocalipse”, no seu uso prático, tomou o sentido de catástrofe, acidentes destruidores e finais, mas, o seu sentido original é simplesmente o de “revelação” ou, numa linguagem quase heideggeriana, “desvelação”, algum véu que é retirado e que permite “ver através de”. O livro abre justamente com a palavra “apokalypsis”.

O “livro” (sentido técnico) contém três géneros literários: epistolar, profético e apocalíptico. Retratam as visões de João na ilha de Patmos, tema demasiado vasto e profundo com veios históricos e doutrinários e, por isso, salto diretamente para o início do capítulo 6 onde João vê uns pergaminhos na mão direita de Deus selados com sete selos e o Cordeiro de Deus abre o primeiro selo e daí saem os quatro cavaleiros do apocalipse.

      Sai um primeiro cavalo, o branco…

As interpretações sobre a simbologia do primeiro cavalo branco são diversas, desde ser um símbolo de “conquista” até à luta do “Cristo e Anti-Cristo”, mas, apesar da palavra original ser “thanato”, que, prima facie, significaria simplesmente “morte”, a palavra já tinha o sentido de doença, praga, infeção, doença infeciosa e mortal em que as setas atiradas não são mais que um contágio coletivo e mortal.

As doenças mortais e contagiosas muitas vezes mudaram o curso da história, alteraram o futuro de forma irreparável e não são apenas uma memória do passado.

Albrecht Dürer   Knight Death and Devil NGA 1943.3.3519 - O primeiro cavaleiro do apocalipse

Uma das imagens muitas vezes associada ao primeiro cavaleiro do apocalipse é a gravura de Albrecht Dürer “Cavaleiro, Morte e o Diabo” (Ritter, Tod und Teufel). Imagem que vai ser iconicamente utilizada pelo nazismo. O fascismo é outra forma de doença contagiosa e mortal: o arianismo puro que vinha exterminar o vírus do judaísmo, do comunismo, da homossexualidade e outras impurezas.

Neste breve postal deixo agora apenas uma sugestão de leitura.

firsthorsemandbyjohncase - O primeiro cavaleiro do apocalipse

A primeira é o livro de John Case “The first horseman” (O primeiro cavaleiro do apocalipse), um livro a muitos títulos perturbador e totalmente profético. O tema do livro é o bio-terrorismo, centrando-se a ação no aparecimento de um vírus na China e Coreia gerando uma crise mundial. As descrições do isolamento das cidades, das limpezas de desinfeção, do fecho dos aeroportos, etc., são descrições detalhadas das imagens do mundo atual.

Para os grandes apreciadores do género “vírus thriller”, recomendo o livro de Richard Preston “The hot zone”, um livro dramático e real sobre o ébola.

Quando o mundo parecia ao abrigo, devido à evolução dos conhecimentos, de todo o tipo de calamidades e epidemias…

Frank Wan

Frank Wan

Frank Wan é escritor, professor, pesquisador, tradutor, co-editor do Recorte Lírico, editor da Scripsi e outras. Vive, de momento, em Portugal. E-mail: ira.wan@hotmail.com

5 comentários sobre “O primeiro cavaleiro do apocalipse

      1. Como diria o nosso super Tim Maia “Até parece que foi combinado esse nosso encontro casual”.
        Les grands esprits se rencontrent!

        Obrigado por tudo, irmão Cássio Miranda

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *