O Mal não Está Aqui (Evil Does Not Exist): Takahashi Matou Hana?

Sabrina Santos

Updated on:

Ryusuke Hamaguchi, renomado diretor japonês, apresenta um eco-drama deslumbrante em “O Mal não Está Aqui” (Evil Does Not Exist). Este filme não só encanta visualmente, mas também entrega uma mensagem profunda e significativa. Situado em uma pitoresca aldeia japonesa, a narrativa segue um pai que ensina entusiasticamente sua filha sobre a importância da natureza ao seu redor. Assim como ele se beneficiou dos frutos da terra, esperava que sua filha também aprendesse a valorizar a coexistência harmoniosa com o meio ambiente.

A Preocupação dos Vilarejos com o Projeto da Empresa

Quando os representantes da empresa, Takahashi e Mayuzumi, introduziram o projeto de um acampamento de luxo (glamping) na aldeia, os moradores levantaram várias preocupações legítimas. Eles temiam que o tanque séptico planejado para 50 pessoas não fosse suficiente para tratar a água durante a capacidade máxima do glamping, que seria de 64 pessoas. A empresa argumentou que a pequena porcentagem de água não tratada não poluiria significativamente o rio, mas os moradores discordaram. Eles também estavam preocupados com a localização do tanque séptico, acreditando que a água drenada poluiria os poços a jusante. Para os locais, a água era sagrada, e eles se recusavam a permitir que a empresa destruísse sua pureza.

amazon

Além disso, havia um medo significativo de incêndios, pois os campistas ficariam sem supervisão durante a noite. Os moradores sugeriram a contratação de um zelador, proposta que a empresa considerou. No entanto, ao discutir as preocupações dos moradores com a consultoria, Takahashi e Mayuzumi foram instruídos a ignorá-las. Eles perceberam que as demandas dos moradores eram lógicas, mas a empresa estava determinada a seguir em frente sem mudanças significativas, usando o briefing apenas para mostrar que estavam ouvindo, sem a intenção de implementar as sugestões.

A Conexão de Takahashi com a Aldeia

O Mal não Está Aqui (Evil Does Not Exist): Takahashi Matou Hana?
O Mal não Está Aqui (Evil Does Not Exist): Takahashi Matou Hana?

Durante o processo, Takahashi se sentiu atraído pela vida simples da aldeia e começou a sonhar em adotar esse estilo de vida. Ele desejava abandonar seu trabalho na cidade, casar-se e estabelecer-se na aldeia. No entanto, seu desejo era idealista e não reconhecia o trabalho árduo necessário para sustentar esse modo de vida. Takumi, um homem local que realizava trabalhos variados na aldeia, foi abordado para se juntar ao projeto, mas ele recusou tanto o emprego quanto a oferta de álcool, afirmando que não consumia bebida e não queria se envolver com o glamping.

Como Hana Morreu?

Hana, a filha de Takumi, era tudo para ele, especialmente após a morte de sua esposa. Frequentemente, ele esquecia de buscá-la na escola devido aos seus trabalhos. Nesse dia em particular, Takumi estava distraído com os representantes da empresa. Enquanto discutiam os planos, ouviram um tiro de caçadores, que estavam abater veados. Mayuzumi perguntou inocentemente se os veados atacavam humanos, ao que Takumi explicou que, embora raro, uma mãe veado poderia atacar se seu filhote estivesse ferido.

Quando perceberam que Hana não estava na escola, começaram a procurá-la. A busca se prolongou pela noite, e Takahashi, inicialmente entusiasmado com a aventura, não percebia que era apenas um intruso sem noção da realidade local. Quando Takumi finalmente encontrou Hana, ela estava morta. Acredita-se que a mãe de um filhote de veado, ferida por caçadores, tenha atacado Hana quando ela tentou se aproximar.

Por Que Takumi Atacou Takahashi?

Ao ver Hana morta, Takumi foi consumido pela dor e pela raiva. Ele projetou sua frustração em Takahashi, que, embora não fosse diretamente responsável pela morte de Hana, simbolizava as forças externas que ameaçavam destruir a vida na aldeia. Os capitalistas, com suas decisões aparentemente inofensivas, poderiam causar danos irreparáveis ao ecossistema local. O projeto de glamping, por exemplo, interferiria na trilha dos veados, forçando a instalação de cercas e potencialmente resultando na caça dos animais.

A atitude de Takahashi e Mayuzumi, embora aparentemente bem-intencionada, revelava uma ignorância profunda sobre a vida na aldeia. Takumi, ao atacar Takahashi, agiu instintivamente, como uma mãe veado protegendo seu filhote. Seu ataque não foi motivado por maldade, mas pelo desespero de um pai que perdeu tudo.

O Significado da Cena Final

O Mal não Está Aqui (Evil Does Not Exist): Takahashi Matou Hana?
O Mal não Está Aqui (Evil Does Not Exist): Takahashi Matou Hana?

O título do filme, “Evil Does Not Exist” (O Mal não Está Aqui), é justificado no final. As ações de Takumi não foram movidas por maldade, mas por instinto natural e dor. A aldeia era um lugar de harmonia, onde os moradores viviam em equilíbrio com a natureza e ajudavam uns aos outros sem intenções maliciosas. A perda de Hana foi devastadora para Takumi, e ele não podia suportar a presença de Takahashi perto de sua filha.

Ao carregar o corpo de Hana para a floresta, Takumi parecia querer desaparecer na escuridão, talvez incapaz de continuar sem sua filha. O destino de Takahashi é incerto; ele perdeu a consciência após ser atacado, mas não se sabe se ele sobreviveu. Mesmo que sobrevivesse, ele provavelmente nunca mais voltaria à aldeia e poderia persuadir sua empresa a desistir do projeto de glamping.

A força dos moradores em resistir e lutar contra práticas prejudiciais é evidente. Embora o mal não exista na aldeia, a capacidade de resistir e combater injustiças é clara. A esperança é que, após os eventos trágicos, a empresa decida abandonar seus planos e deixe a aldeia em paz, respeitando a harmonia e o equilíbrio que os moradores tanto prezam.

AMAZON

Considerações Finais

“O Mal não Está Aqui” é uma obra-prima cinematográfica que explora a conexão íntima entre os humanos e a natureza. Através da trágica história de Takumi e Hana, Ryusuke Hamaguchi nos lembra da importância de respeitar e preservar o meio ambiente. A narrativa também destaca a arrogância e a ignorância daqueles que, vindo de fora, tentam impor suas vontades sem entender as complexidades locais. O filme O Mal não Está Aqui nos desafia a refletir sobre o impacto de nossas ações e a importância de ouvir e aprender com as comunidades que vivem em harmonia com a natureza.

Com uma narrativa envolvente e visualmente cativante, “O Mal não Está Aqui” deixa uma marca duradoura no público, lembrando-nos da fragilidade do equilíbrio entre humanidade e natureza. Através da luta de Takumi, o filme nos mostra que a resistência e a luta pela justiça são essenciais para proteger o que é mais precioso.

Este artigo é uma análise profunda e detalhada do filme, otimizado para mecanismos de busca, com o objetivo de atrair amantes do cinema e interessados em narrativas ecológicas para discutir e refletir sobre a mensagem poderosa de “O Mal não Está Aqui”.

Veja o trailer do filme O Mal não Está Aqui:

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.