Epidemia na Literatura – 15 livros que retratam o tema

Epidemia na Literatura – 15 livros que retratam o tema

É possível dizer que a Literatura retratou e ainda retrata acontecimentos históricos e sócio-históricos da humanidade. Com doenças e epidemias não seria diferente! Por isso, em meio a esse cenário de COVID-19, venho compartilhar com vocês 15 livros que retratam o tema da epidemia de alguma forma, dos mais antigos aos mais recentes, para todos os gostos e tipos de leitores. Confira os títulos abaixo:

3333 Morte em Veneza1 - Epidemia na Literatura - 15 livros que retratam o tema

Título: Morte em Veneza
Autor: Thomas Mann
Ano da primeira publicação: 1912
Sinopse: Publicado em 1912, A Morte em Veneza conta a estória do escritor alemão Gustav von Aschenbach, que vai passar férias em Veneza. Lá, apaixona-se platonicamente pelo jovem polonês Tadzio, de 14 anos, e passa os dias a admirá-lo. O livro praticamente traz considerações de Aschenbach sobre as dicotômicas beleza natural do jovem e a arte da escrita tão arduamente trabalhada por ele. Ou sobre juventude e velhice, sabedoria e ignorância, saúde e doença.

Título: O Mez da Grippe
Autor: Valêncio Xavier
Ano da primeira publicação: 1998
Sinopse: Novela gráfica, com excertos de jornais do início do século XX, com notícias a respeito de uma epidemia de gripe espanhola no Brasil. Em O Mez da Grippe, Valêncio Xavier parte do entrelaçamento entre recortes de jornais, fotografias, depoimentos de sobreviventes e anúncios publicitários do início do século passado, para produzir uma novela a partir das colagens desses fragmentos, numa narrativa que retrata uma Curitiba assolada pela gripe espanhola em 1918.

Título: O Decamerão
Autor: Giovanni Boccaccio
Ano da primeira publicação: 1993
Sinopse: Com subtítulo de “Príncipe Galeotto”, o Decamerão marca com certa nitidez o período de transição vivido na Europa com o fim da Idade Média, após o advento da Peste Negra – aliás é neste período de terror que a narrativa se passa. Dez jovens (sete moças e três rapazes) fogem das cidades tomadas pela pandemia que dizimava impiedosamente o continente europeu ao se recolherem a uma casa de campo. Aconselhados por Pampinéia, a mais velha entre as mulheres, estabaleceram que escolheriam um chefe para o grupo para cada dia. Sendo ela a primeira escolhida, definiu: “(…)Para os que vierem depois, o processo de escolha será o seguinte: quando se vier aproximando a hora do surgimento de Vênus, no céu, à tarde, o chefe será, à vez de cada um, escolhido por aquele, ou aquela, que estiver comandando durante o dia.(…)” O Decamerão, rompendo com a mítica literatura medieval, é considerada a primeira obra realista da literatura.


10 cursos sobre clássicos da literatura para fazer gratuitamente na Casa do Saber On Demand

Título: Ensaio sobre a cegueira
Autor: José Saramago
Ano da primeira publicação: 1995
Sinopse: Uma terrível “treva branca” vai deixando cegos, um a um, os habitantes de uma cidade. Com essa fantasia aterradora, Saramago nos obriga fechar os olhos e ver. Recuperar a lucidez, resgatar o afeto: essas são as tarefas do escritor e de cada leitor, diante da pressão dos tempos e do que se perdeu. Um motorista parado no sinal se descobre subitamente cego. É o primeiro caso de uma “treva branca” que logo se espalha incontrolavelmente. Resguardados em quarentena, os cegos se perceberão reduzidos à essência humana, numa verdadeira viagem às trevas. O Ensaio sobre a cegueira é a fantasia de um autor que nos faz lembrar “a responsabilidade de ter olhos quando os outros os perderam”. José Saramago nos dá, aqui, uma imagem aterradora e comovente de tempos sombrios, à beira de um novo milênio, impondo-se à companhia dos maiores visionários modernos, como Franz Kafka e Elias Canetti. Cada leitor viverá uma experiência imaginativa única. Num ponto onde se cruzam literatura e sabedoria, José Saramago nos obriga a parar, fechar os olhos e ver. Recuperar a lucidez, resgatar o afeto: essas são as tarefas do escritor e de cada leitor, diante da pressão dos tempos e do que se perdeu: “uma coisa que não tem nome, essa coisa é o que somos”.

51T xiZtf6L. SX321 BO1204203200  - Epidemia na Literatura - 15 livros que retratam o tema

Título: O amor nos tempos do cólera
Autor: Gabriel Garcia Márquez
Ano da primeira publicação: 1985
Sinopse: Ainda muito jovem, o telegrafista, violinista e poeta Gabriel Elígio Garciá se apaixonou por Luiza Márquez, mas o romance enfrentou a oposição do pai da moça, coronel Nicolas, que tentou impedir o casamento enviando a filha ao interior numa viagem de um ano. Para manter seu amor, Gabriel montou, com a ajuda de amigos telegrafistas, uma rede de comunicação que alcançava Luiza onde ela estivesse. Essa é a história real dos pais de Gabriel García Márquez e foi ponto de partida de ‘O amor nos tempos do cólera’, que acompanha a paixão do telegrafista, violinista e poeta Florentino Ariza por Fermina Daza.

Título: O último homem
Autora: Mary Shelley
Ano da primeira publicação: 1826
Sinopse: Este livro é narrado por Lionel Verney, o único sobrevivente que conta a história dos últimos momentos da humanidade, destruída por uma praga que mata, gradualmente, homens e mulheres. Entre os seis personagens da trama o leitor pode encontrar uma verossimilhança entre Lorde Byron e Percy Shelley, amigo e marido respectivamente, cristalizados sob forma fictícia em Lorde Raymond e Conde Adrian. O balonismo, por sua figura simbólica que remete a razão e ao progresso científico de seu tempo, e, sobretudo, à Revolução Francesa, são os temas tecnológicos centrais descritos no livro.

Título: A máscara da morte rubra
Autor: Edgar Allan Poe
Ano da primeira publicação: 1842
Sinopse: Enquanto a Morte Rubra dizima o povo, o Príncipe encastela-se em uma de suas propriedades, inviolável construção, onde a peste jamais poderia adentrar. Blindando sua fortaleza das emanações da terrível epidemia, promove festas, bailes e todo o tipo de diversão. E lá permaneceria enquanto o mundo não anunciasse o fim do perigo. Num desses bailes, no entanto, uma presença chama a atenção de todos aqueles que se julgam invulneráveis.


ACOMPANHE-NOS EM NOSSAS REDES SOCIAIS:

Título: Um diário do ano da peste
Autor: Daniel Defoe
Ano da primeira publicação: 1722
Sinopse: Este livro trata de uma vívida, inquietante e informada reportagem acerca da epidemia de peste bubônica que dizimou grande parte da população londrina. Reportagem e ficção se mesclam, no esmero do registro, onde sempre há a técnica do escritor nos fatos , criando personagens, descrevendo cenas literariamente tratadas, cedendo ritmo indispensável de diálogos que recompõem um clima novelesco.

Título: Cavalo pálido, pálido cavaleiro
Autora: Khaterine Anne Porter
Ano da primeira publicação: 1939
Sinopse: “Cavalo Pálido, Pálido Cavaleiro” é uma reflexão profunda sobre a natureza humana e a futilidade da guerra. Reúne três novelas essenciais na obra de Katherine Anne Porter: “Velha Mortalidade”, “O Vinho do Meio-Dia” e o conto que dá nome ao livro, considerado a obra-prima da autora. Um estudo sobre o mal, “O Vinho do Meio-Dia” é uma história de ganância e crime no Sul do Texas, inspirada na infância da autora. Em “Velha Mortalidade” enredam-se os primeiros anos e a vida adulta da heroína Miranda, alter ego de Porter. Num brilhante exercício de escrita, “Cavalo Pálido, Pálido Cavaleiro” revela a mente febril e os delírios de Miranda, que está à beira da morte após ter contraído gripe espanhola.

a peste albert camus D NQ NP 589405 MLB25027086458 082016 F - Epidemia na Literatura - 15 livros que retratam o tema

Título: A Peste
Autor: Albert Camus
Ano da primeira publicação: 1947
Sinopse: A vida após a peste. Um romance de um dos mais importantes e representativos autores do século XX e Prêmio Nobel de LiteraturaRomance que destaca a mudança na vida da cidade de Orã, na Argélia, depois que ela é atingida por uma terrível peste, transmitida por ratos, que dizima a população. É inegável a dimensão política deste livro, um dos mais lidos do pós-guerra, uma vez que a cidade assolada pela epidemia lembra a ocupação nazista na França durante a Segunda Guerra Mundial. A peste é uma obra de resistência em todos os sentidos da palavra. Narrado do ponto de vista de um médico envolvido nos esforços para conter a doença, o texto de Albert Camus ressalta a solidariedade, a solidão, a morte e outros temas fundamentais para a compreensão dos dilemas do homem moderno.

Título: Os olhos da escuridão
Autor: Dean Koontz
Ano da primeira publicação: 1981
Sinopse: Uma busca por um filho desaparecido… E um mistério tóxico que ameaça o mundo! Um ano se passou desde a morte do pequeno Danny. Um ano desde que sua mãe iniciou o doloroso processo de aceitação. Mas Tina Evans poderia jurar que acabou de vê-lo dentro do carro de um estranho. Na última perturbadora noite sonhou com seu filho. Ao acordar, foi até o quarto de Danny e para sua surpresa lá estava uma mensagem. Três palavras perturbadoras rabiscaram no quadro-negro: NÃO ESTÁ MORTO. Foi uma piada sombria de alguém? Sua própria mente lhe pregando peças? Ou algo mais? Para Tina Evans, era um mistério que ela não podia escapar. Uma obsessão que a levará até as últimas consequências para descobrir a verdade por trás da morte de seu filho. Um terrível segredo que não foi visto por ninguém, apenas pelos olhos da escuridão.

Título: A dança da morte
Autor: Stephen King
Ano da primeira publicação: 1978
Sinopse: Após um erro de computação no Departamento de Defesa, um vírus é liberado, e um milhão de contatos casuais formam uma cadeia de morte: é assim que o mundo acaba. O que surge em seu lugar é um ambiente árido, sem instituições e esvaziado de 99% da população.
É um lugar onde sobreviventes em pânico escolhem seus lados – ou são escolhidos. Os bons se apoiam nos ombros frágeis de Mãe Abigail, com seus cento e oito anos de idade, enquanto todo o mal é incorporado por um indivíduo de poderes indizíveis: Randall Flagg, o homem escuro.
Neste livro, King cria uma história épica sobre o fim da civilização e a eterna batalha entre o bem e o mal. Com sua complexidade moral, ritmo eletrizante e incrível variedade de personagens, A dança da morte merece um lugar entre os clássicos da literatura contemporânea.

91 wy0qg2ML 1 - Epidemia na Literatura - 15 livros que retratam o tema

Título: Guerra Mundial Z: Uma história oral da guerra dos zumbis
Autor: Max Brooks
Ano da primeira publicação: 2006
Sinopse: Em Guerra Mundial Z, Max Brooks faz uma paródia dos guias de sobrevivência convencionais e expõe a paranoia coletiva que tomou conta do mundo, em especial dos Estados Unidos, na era Bush. No livro, que dá continuidade ao bem-sucedido O guia de sobrevivência a zumbis, o autor adota um tom científico nas pretensas entrevistas que conduziu com os sobreviventes do ataque zumbi que quase extinguiu a humanidade. O narrador de Brooks é um integrante da comissão da ONU encarregado de elaborar o relatório sobre o assustador conflito que quase aniquilou o planeta. Da identificação do paciente zero, contaminado nas ruínas de Dachang, na China, até Mary Jô Miller, a arquiteta de elite que pode pagar para se proteger, passando pelo depoimento de um soldado da infantaria que lutou no conflito, nada escapa à verve do autor. Além de recorrer ao fantástico para traçar um painel das reações humanas diante de crises e tragédias inexplicáveis, Brooks tece comentários ácidos sobre temas diversos como o autoritarismo na China e na União Soviética; a falsificação de relatórios de inteligência por parte do governo dos Estados Unidos para justificar a invasão ao Iraque em 2003; o impacto social e ambiental de grandes empreendimentos como a represa de Três Gargantas, na China; a opressão imposta por regimes fundamentalistas, como o talibã no Afeganistão e o tráfico internacional de órgãos, envolvendo países como o Brasil.

Título: Salão de Beleza
Autor: Mario Bellatin
Ano da primeira publicação: 1994
Sinopse: Em uma grande cidade, um cabeleireiro que se traveste à noite para fazer programas, monta um sofisticado salão de beleza e cuida de aquários com diferentes espécies de peixes. Quando a cidade é assolada por uma peste implacável ainda desconhecida, ele começa a abrigar dentro de sua loja as pessoas doentes. Em nenhum momento aparece a designação da doença, mas é visível que se trata da AIDS. Ao mesmo tempo que se compadece dos que vão morrer, o cabeleireiro tenta manter uma certa distância e indiferença. “Salão de Beleza” foi escolhido por um júri de escritores e críticos latino-americanos como um dos 20 melhores relatos escritos em língua espanhola a partir de 1980.

Título: Oryx e Crake
Autor: Margaret Atwood
Ano da primeira publicação: 2003
Sinopse: O livro acompanha o último sobrevivente da raça humana após uma catástrofe que dizima a Terra. Ele se autodenomina “homem das neves” e vive em um amargo isolamento, vivendo como um pária em seu próprio habitat. Quando não precisa sair em busca de comida em um deserto infestado de insetos, seu único prazer está em assistir a filmes antigos em DVD que o fazem lembrar do mundo de outrora. Como tudo veio abaixo tão depressa? Enquanto o Homem das Neves reconstitui suas lembranças, sua mente é povoada pelas vozes de seus amigos da juventude, o enigmático Crake e a sedutora Oryx, personagens-chave por trás do Projeto Paradiso, o grande responsável pela derrocada da espécie humana.


LEIA TAMBÉM:

Fontes:
https://www.opopular.com.br/noticias/magazine/livros-sobre-pandemias-para-ler-em-tempos-de-coronav%C3%ADrus-1.2041606
https://saude.abril.com.br/blog/saude-e-pop/livros-e-filmes-para-refletir-sobre-a-pandemia/
https://www.revistabula.com/29666-10-livros-sobre-pandemias-em-tempos-de-coronavirus/

Sara Muniz

Sara Muniz

Sara Muniz, 22 anos, formada em Letras Português-Inglês, criadora e idealizadora do blog Interesses Sutis desde 2014, professora de inglês em tempo integral, escritora, revisora e redatora nas horas vagas. Trabalha para comer, viajar e comprar livros. E-mail: saramunizz@gmail.com

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *